quarta-feira, 30 de outubro de 2013

10 Fotografias mais tristes da história


Oi Pessoal,

Li essa matéria hoje e achei interessante divulgar e compartilhar com vocês.

Foi publicado no site da Gazeta Social e me chocou muito.

Além de ter sido histórico no mundo inteiro, me pego pensando no profissional que registrou esse momento único. Todo mundo acha, na maioria das vezes, que é fácil fotografar algo ou alguém numa determinada situação. Errado ! É bem difícil, mas vou explicar porque: O Equipamento , ao meu ver, é uma ferramenta de uso para aqueles que enxergam o mundo (num geral) com outros olhos e desesperadamente o foco principal de quem fotografa é dividir aquele momento ali e tentar captar sentimentos semelhantes naquele registro. Seja paisagem, seja um sorriso inocente de uma criança ou sejam as fotos abaixo. 

É difícil essa expressão.

 Tentar expressar um sentimento e transmitir aquela essência para o mundo, merece todo o mérito e reconhecimento. A questão não é só a fotografia em si, é o sentimento depositado ali e fazer da simples foto, um canal de transmissão daqueles sentimentos sendo repassados.

O Foco do blog é a fotografia voltada para a divulgação do que é interessante, na minha visão. É lindo admirarmos uma vista com o raiar do sol, mas devemos admirar essas fotos históricas também com o mesmo olhar e de coração aberto. Acho digno. 
E parabéns ao profissionais que puderam nos presentear e nos apresentar, através de suas lentes, a realidade do mundo.

As imagens a seguir foram retiradas de pesquisas através de compilação de reportagens e listas publicadas por jornais, revistas, sites especializados em fotografia, fotojornalismo e história.

A pesquisa teve como objetivo identificar quais eram as 10 fotografias mais tristes de todos os tempos. Participaram do levantamento as publicações: “Life”, “The Guardian”, “Der Spiegel”, “Telegraph”, “El Universal”, “The Pulitzer Prizes”, “Day Life”, “World’s Famous Photos”, “Digital History”, “Listverse”, “Jornal Opção”, “Al Fotto”, “National Geographic” e “World Press Photo”. Obviamente que listas são sempre incompletas. Sabe-se que, como a percepção, a opinião — que foi a base da pesquisa —, é algo individual.

Entretanto, as 10 fotografias selecionadas, se não são unanimidades no meio jornalístico e fotográfico (e possivelmente não serão entre os leitores), são referências incontestes de alguns dos momentos mais cruéis da história.

Eis, em ordem classificatória, as 10 fotografias selecionadas baseadas nas publicações pesquisadas.




Omayra Sanchez (1985)

A fotografia mostra Omayra Sanchez, uma menina de 13 anos que ficou presa em entulhos deixados pelo deslizamento causado pela erupção do vulcão Nevado del Ruiz, que arrasou com o povoado de Armero, Colômbia, em 1985. Os socorristas não conseguiram resgatá-la. Ela morreu cerca de 60 horas depois de ficar presa. A fotografia ganhou o World Press Photo de 1985 e se tornou uma mais comoventes da história.
Fotografia: Frank Fournier.





Biafra (1969) 
A Guerra Civil da Nigéria ou Guerra do Biafra matou mais de um milhão de pessoas entre 1967 e 1970, principalmente de fome. Milhares de crianças foram acometidas de Kwashiorkor, patologia resultante da ingestão insuficiente de proteínas. O fotógrafo de guerra Don McCullin foi o primeiro a chamar a atenção para a tragédia.
 Fotografia: Don McCullin.






                                                                     Phan Thi Kim Phúc (1972)


Ganhadora do Prêmio Pulitzer em 1973 e a mais famosa fotografia de guerra de todos os tempos. Kim Phuc (a garotinha nua) corre ao longo de uma estrada perto de Trang Bang, no sul do Vietnã, após um ataque aéreo com napalm. Para sobreviver, Kim arrancou a roupa em chamas do corpo. 
Fotografia: Nick Ut.






Execution of a Viet Cong Guerrilla (1968)


Ganhadora do prêmio Pulitzer, a fotografia mostra Nguyen Ngoc Loan, chefe da polícia sul-vietnamita, disparando sua pistola contra a cabeça de Nguyen Van Lem, oficial Vietcong, em Saigon. Embora chocante, a fotografia não conta toda a história. O homem assassinado havia matado uma família. 
Fotografia: Eddie Adams.






A fome no Sudão (1993)


Fotografia publicada em março de 1993 no “New York Times” e responsável pela ascensão de Kevin Carter como fotógrafo. Em 1994, Kevin ganhou o Prêmio Pulitzer de Fotografia. Embora a fotografia seja impactante, o abutre não estava tão próximo do menino como a fotografia sugere — fato que continua causando controvérsias entre jornalistas e fotógrafos. O garoto da foto chamava-se Kong Nyong e sobreviveu ao abutre, morreu em 2007. Kevin Carter, o fotógrafo, se matou em 1994. 
Fotografia: Kevin Carter.






Hiroshima (1945)


A fotografia mostra o primeiro bombardeio atômico da história. Em 6 de agosto de 1945, a cidade de Hiroshima foi devastada pela bomba atômica de fissão denominada Little Boy, lançada pelo governo dos Estados Unidos, resultando em 258 mil mortos e feridos. 
Fotografia: George William Marquardt (piloto do avião).






Racismo nos Estados Unidos (1950)


A fotografia, que causou indignação em todo o mundo, mostra bebedouros separados para brancos e negros, na Carolina do Norte, Estados Unidos. Até a década de 1950, os afro-americanos não tinham direito a voto, eram segregados socialmente e compunham a parcela mais pobre da população norte-americana. 
Fotografia: Elliott Erwitt.






Uganda (1980)


Fotografia feita por Mike Wells, em abril de 1980, mostra uma criança da província de Karamoja, Uganda, de mãos dadas com um missionário. O contraste entre as duas mãos serve como um lembrete do abismo que separa países desenvolvidos e subdesenvolvidos. A fotografia permaneceu inédita durante anos. 
Fotografia: Mike Wells.






The Falling Man (2001)


Fotografia feita por Richard Drew, fotógrafo da Associated Press, mostrando um homem caindo da Torre Norte do World Trade Center, em Nova York, durante os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Cinco anos após os ataques, o homem foi identificado como Jonathan Briley, de 43 anos, funcionário de um restaurante instalado na Torre Norte do World Trade Center. Entretanto, oficialmente, sua identidade nunca foi confirmada.
Fotografia: Richard Drew.







Mãe migrante (1936)



Um ícone da Grande De­pressão e uma das fotos mais famosas dos Estados Unidos. Florence Owens Thompson, 32 anos, desolada por não ter comida para alimentar os filhos. Jornalistas americanos passaram décadas tentando localizar a mãe e seus sete filhos. No final dos anos 1970 ela foi encontrada, não prosperara muito. Vivia em um trailer. 
Fotografia: Dorothea Lange



Chocante né?

Repassem, divulguem, leiam... compartilhem !


Beijos a todos,

Dadá.





terça-feira, 29 de outubro de 2013

Sorteio: Foco da Coruja no Facebook


Olá,

Primeiramente gostaria de expressar minha felicidade. 

Devido aos 1.000 acessos no blog, iniciei um sorteio, conforme prometido.

Vou presentar ao ganhador uma foto, de minha autoria, revelada em 20 x 25, entregue num quadro com essas proporções.

Espero que curtam e compartilhem essa idéia!


Boa Sorte !!

Grande Beijo,

Dadá






Facebook: Foco da Coruja 






sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Guia das Comunidades, Jornal O Dia.


Então gente,

Estou muito feliz e gostaria de agradecer a todos que me incentivam pela arte de fotografar e fazer disso um meio de divulgação e integração do público conhecendo lugares, pessoas e etc.

A matéria foi  publicada hoje, no jornal O Dia, editorial "Guia das Comunidades". E no blog já havia sido publicada, em 15/10.


 O Foco da Coruja ganhou o prestígio em ser divulgada, em grande estilo. Espero continuar fazendo desse trabalho, que amo, um alimento para a nossa sensibilidade e o despertar do descobrimento do que pensamos ser novidade.

Link para edição virtual do jornal O Dia:  http://blogs.odia.ig.com.br/guia-das-comunidades/2013/10/28/domingo-no-santa/


Beijo a todos,


Dadá Ferreira.





























quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Bairro Cosmorama em parceria com a Cosmorama News

Oi pessoal,

Em parceria com a Cosmorama News, página criada na rede do facebook , viabilizando a melhoria do bairro situado em Mesquita -RJ, irei fotografar a realidade do bairro, sendo que através da ajuda dos moradores. 

Essa ajuda será a partir do link na página "Cosmorama News" , comentários em tema livre , sugerindo lugares, pessoas... Enfim ... O bairro no geral e o que há de interessante , tanto para o lado positivo, como para o negativo ! 

Ansiosa para o trabalho e agradeço desde já a ajuda de todos! 


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Entardecer na Pedra do Leme

Oi Pessoal,

Pelo meu celular, registo e divido com vocês esse brilho no fim da tarde de hoje. 

O Horário de verão contribui e como minha máquina estava fora do alcance das minhas mãos, resolvi registrar pela câmera do celular .

Espero que tenham gostado ! 

Beijos ,


Dada




segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Versos, crônicas e declarações de amor



Olá!

Hoje resolvi publicar um dos meus textos. Pois é, quando a inspiração resolve aparecer aproveito para escrever.

Na verdade, me sentei a frente da tela do computador para buscar inspiração em algo novo, mas não deu muito certo.

Como a semana que passou, foi muuuuito importante e especial pra mim, acho justo publicar uma escrita que tem tudo a ver... o amor . Estou falando dele mesmo. Ao descobrir os lados, frente e verso do amor, escrevi esse texto com muita sensibilidade. 

Espero que sintam...



Versos, crônicas e declarações de amor

"É assim...

O peito se enche de esperança na companhia do mesmo ar que os suspiros se apresentam;
Sensação essa dos sonhos sendo resgatados , da realização de tudo o que foi planejado durante uma vida inteira.
Daí vem os pensamentos, atropelados, aleatórios e os desejos ... tudo ao mesmo tempo!

Calma, tranquilidade e serenidade são escudos para um possível  tropeço, de leve.

Eis então a exposição e a verbalização de tudo a quem pertence.
Ouvindo meu interior, aquela voz dos diálogos ilimitados, ouço atentamente e concordo com tudo o que foi dito e ouvido.

Meus olhos tiveram a companhia das lágrimas, salgadas que há tempos não davam as caras.
Meus suspiros vieram a clamar , confirmando tudo.
Meu sorriso de felicidade, que até então, não a conhecia totalmente.
Minhas expressões, meu comportamento se dirigiam para o lado “bom” da bússola, em direção ao companheirismo, da cumplicidade e do amor.

Percebi a essência e a sublimidade do amor e da felicidade.
A sensibilidade é importante nessas horas, nos faz entender a grandiosidade da reciprocidade nivelada.  

O que chamamos de amor , vai além do que achamos que seja. 
Sofremos por conta de uma sociedade hipócrita e por isso somos “acomodados” com situações confortáveis, nos escondendo de risos sem mostrar os dentes.
A alegria irradia, seja como for o tamanho de sua felicidade e o motivo dela fincar e persistir em sua vida.
Seja feliz e pulverize nos jardins alheios um pouco dessa magia que é transformada pelos sentimentos que vão se florescendo a cada dia , a cada amanhecer, a cada anoitecer, a cada acontecimento, a cada momento".

Dadá Ferreira.








terça-feira, 15 de outubro de 2013

Morro Santa Marta


 Oi galera,

Essa semana foi muito especial. O tempo estava radiante e decidi, pela manhã, conhecer e dividir com vocês esse momento único que foi pra mim ... visitei o morro Santa Marta.

Sim...sim, é lá mesmo onde alguns astros e as estrelas visitaram e levaram um pouco desse encanto, dessa magia que o povo carioca tem , que além disso , em superar as violências, ganhando assim o apoio da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). 

O Morro Santa Marta fica localizado em Botafogo e um dos seus acessos fica entre a rua São Clemente, na Praça Corumbá.









Então, comecei pegando carona no famoso "bondinho", que possui 4 estações. Funciona como um elevador e entre uma estação e outra não demora nem 10 minutinhos.
















Fui presenteada no caminho, encontrando uma turma, que se tornaram amigos, do jornal O Dia. Estavam realizando uma matéria para a próxima divulgação do "Guia das Comunidades", onde mostra-se vários programas, inclusive culturais, realizados nos morros cariocas.

Numa brincadeira informal juntamente com a minha simpatia rs, garanti aquele domingo cheio de emoções. Dito e feito. De carona no conhecimento deles, tive a honra de ser convidada e participar da matéria. 

Ricardo Schott e Estefan Radovicz, obrigada por tudo !

Claro, tivemos um guia turístico de alto nível em conhecimento e super famoso, o grande Gilson Fumaça.

Tivemos a companhia também da Sra Renata e Teresa, que ajudaram e se divertiram conosco.











Gilson Fumaça, morador de lá e muito divertido. Sua alegria e conhecimento irradia e nossas curiosidades vão sendo despertadas e ele, vai nos alimentando de informações.

A famosa "Laje do Michael Jackson". Foi lá mesmo que foi gravado o clipe da música They don't care about us, em 1996 e agora temos a presença de sua estátua de bronze e um mosaico do cantor feito pelo artista plástico Romero Britto.
































Caminhando, bem a frente, havia uma "birosca", como se chamam aqui, com um estampado mega interessante em camisetas, bolsas e etc.

Sr Paulo Roberto, pai orgulhoso do pequeno Igor Miranda, de apenas 11 anos ,que exibe seu trabalho através do retrato em formas de belos desenhos. Me impressionou a capacidade dele em expressar tamanha realidade, nos mínimos detalhes. 
 Parabéns aos pais, pelo incentivo e que o Igor continue assim, caminhando para a evolução.

Segue algumas fotos do belíssimo trabalho, que pode ser encontrado no morro Santa Marta e através dos contatos abaixo.
























O Material dessa carteira é feita daquelas caixinhas de leite, super criativo !








Artes D`Andréia
Sr Paulo Roberto ou a Sra Andréia
Email: andreia.toursantamarta@gmail.com



Além da paisagem de qualquer cantinho do morro , tipico de um cartão postal, vamos no bondinho pra conhecer mais e mais. 



























Sempre sendo cumprimentada com sorrisos pelos moradores, o guia Gilson Fumaça nos leva para a surpreendente pedreira (como conhecido) onde tem uma das vistas mais lindas que já vi do nosso lindo Rio de Janeiro. É uma espécie de mirante, mas a vista é nada mais , nada menos, que um auto retrato e um conjunto exuberante da natureza, onde raríssimas vezes temos a oportunidade de conhecer.



















Voltando com o brilho no olhar , o nosso guia nos levou até a sua casa. Sua mãe, a Dna Maria Helena é simplesmente fascinada por relógios. Isso mesmo, relógios ! Uma grande colecionadora , ela faz de sua casa uma exposição de variados tipos de relógios. Achei mega interessante , vejam :





Passamos pela Igreja Católica, que inclusive existem 10 igrejas no total, sendo 8 evangélicas e 2 católicas. E nessa igrejinha (foto abaixo) esta a Santa Marta, que foi trazida por uma das primeiras moradoras.  









Conhecemos também a quadra da escola G.R.E.S. Mocidade Unida do Santa Marta, fica localizada próximo a Praça do Cantão. 

Havia um evento, para as crianças, e a quadra estava tomada por brinquedos e os gritos eufóricos da criançada. Tentei mostrar ao máximo o interior da quadra, mas confesso que foi difícil por conta da pouca luz. 
















Na famosa Praça do Cantão, haviam crianças pelos brinquedos ajudando a colorir ainda mais esse domingo. 













Espero que vocês tenham se deliciado e que possam aguçar a vontade de conhecer o Morro Santa Marta.

Indico o meu amigo, Gilson Fumaça, que realiza esse belíssimo trabalho, apresentado a vocês a sensação de felicidade quando estive na companhia dele.








Gilson Fumaça
Site: www.favelascene.com.br




E encerro com uma frase que me comoveu muito.
 Me comoveu com tamanha sensibilidade e veio de um amigo que fiz lá e que estava presente nesse passeio.



" Quando olhamos para trás, nós observamos aquilo que tínhamos deixado de ver, ou seja, toda vez que voce fizer uma pose para fotos, ao terminar...olhe para trás"
Estefan Radovicz


Beijo a todos,

Dadá Ferreira